Início Destaques Porto de Santos bate em julho recorde histórico de movimentação

Porto de Santos bate em julho recorde histórico de movimentação

Movimentação de cargas atingiu 13,5 milhões de toneladas

O Porto de Santos, o mais importante do País, bateu em julho recorde histórico de movimentação ao atingir 13,49 milhões de toneladas, alta de 0,05% sobre a melhor marca da série até então, que fora em abril de 2019, com 13,48 milhões de toneladas. Na comparação com julho de 2019 a alta foi de 5,9% – até então, o melhor julho da história do Porto. Os dados são da prévia de resultados divulgada pela Santos Port Authority (SPA), administradora do Porto, nesta quinta-feira (13/08).

Vale destacar que, a despeito da pandemia, julho é, além de o melhor mês da história, o sexto recorde consecutivo do complexo no ano, que já registrara em fevereiro, março, abril, maio e junho os melhores desempenhos para esses meses da sua história.

No acumulado do ano, o Porto também teve o melhor resultado para o período, ao movimentar 84,1 milhões de toneladas, alta de 10,2% sobre janeiro-julho de 2019.

O desempenho ratifica o Porto de Santos como o mais importante do País ao manter o forte ritmo de crescimento apesar do cenário econômico atual, demonstrando, sobretudo, a força do agronegócio e o câmbio favorável às exportações.

“Esses números refletem também uma gestão que prioriza a eficiência operacional e a obstinação pela produtividade. Além de garantir uma infraestrutura adequada e modernizar regras operacionais nos últimos meses, a SPA vem implementando ações comerciais que atraíram novos arrendatários”, afirma o presidente da SPA, Fernando Biral.

No mês, o granel sólido apresentou crescimento de 7%, totalizando 7,6 milhões de toneladas – entre os principais destaques das exportações estão o açúcar, cujos embarques cresceram 86,2%, para 2,2 milhões de toneladas, e a soja em grãos, com avanço de 6,3%, para 1,3 milhão de toneladas.

O granel líquido aumentou 22,8%, para 1,7 milhão de toneladas. Entre as cargas que mais cresceram, destaque para o óleo diesel e gasóleo, com alta de 111%, para 471,2 mil toneladas, e óleo combustível, que teve aumento de 127,5%, totalizando 203,4 mil toneladas no mês. Também a carga solta cresceu: avanço de 14,8%, para 464,4 mil toneladas. A única queda no mês foi no contêiner: recuo de 3,8%, para 3,7 milhões de toneladas. Mesmo assim, a carga conteinerizada reverteu em julho o viés de baixa registrado no mês anterior, ao crescer 7,5% em toneladas. Em TEU (unidade padrão equivalente a um contêiner de 20 pés), a queda foi de 12,7%, para 323,4 mil TEU.

No acumulado do ano, o contêiner mantém a tendência de alta, tendo registrado 25,8 milhões de toneladas, crescimento de 0,8%. Em TEU, a movimentação apresentou alta de 1,7%, acumulando 2,3 milhões TEU no período de 2020.

Também os granéis sólidos e líquidos apresentaram alta de janeiro a julho na comparação com igual período de 2019: 17,4% e 10,9%, chegando a 44,6 milhões de toneladas e 10,5 milhões de toneladas, respectivamente.

Principais destaques:

  • 13,49 milhões de toneladas em julho, novo recorde de movimentação mensal de toda a série histórica;
  • Alta de 0,05% sobre recorde anterior, de abril de 2019 (13,48 milhões de toneladas);
  • Alta de 5,9% sobre julho de 2019 (12,74 milhões de toneladas);
  • Crescimento de 10,2% no acumulado de jan-jul: 84,1 milhões de toneladas.

  • Assessoria de Imprensa